top of page

Por que fazer sua Rinoplastia com um Otorrinolaringologista?


Principais pontos:


  • A maioria dos pacientes que buscam rinoplastia para fins estéticos também apresentam queixas funcionais do nariz como obstrução nasal, desvio de septo e ronco.

  • É comum pacientes que passaram por cirurgiões especialista apenas em estética, terem de ser reoperados no futuro por causa de problemas respiratórios no nariz causados ou agravados pela falta de conhecimento e habilidade para abordar as questões funcionais do nariz.

  • O otorrinolaringologista especialista em nariz é a especialidade médica que consegue abordar tanto a parte estética como funcional.


Esse assunto é extremamente importante e negligenciado de forma contundente, a quantidade de pacientes com necessidade de revisão tem crescido no consultório nos últimos anos, devemos abordar de forma pragmática e científica.

Prevalência de Problemas Funcionais em Pacientes que Buscam Rinoplastia Estética


  • De acordo com a Diretriz de Prática Clínica da American Academy of Otolaryngology-Head and Neck Surgery, 78% dos pacientes rastreados antes da rinoplastia apresentaram obstrução nasal subjetiva e necessitaram de cirurgia concomitante de septo (90%) e corneto (81%).[1,2]

  • Picavet et al. descobriram que a patologia estrutural estava presente em 62% dos pacientes que buscavam rinoplastia estética, sendo o desvio do septo o problema mais frequente encontrado (54%). [3]


Principais problemas de não dar a correta atenção as questões funcionais


  • A taxa geral de revisão em um estudo sobre rinoplastias estritamente estéticas foi de 9,8%, com taxas de insatisfação de 15,4%.[1]


  • Outro estudo indicou que quase dois terços dos pacientes que procuraram cirurgia de revisão tinham problemas funcionais e estéticos combinados.[2]

  • Problemas funcionais após a rinoplastia estética variam em até 68 por cento, sendo a obstrução das vias aéreas nasais a indicação mais comum para cirurgia secundária.[3]


Isto ressalta a importância de uma avaliação funcional nasal abrangente antes da rinoplastia para minimizar o risco de problemas respiratórios pós-operatórios que podem necessitar de cirurgia de revisão.


É evidente que as considerações funcionais são críticas para a satisfação do paciente e para evitar procedimentos de revisão.


Problemas da abordagem errada do Septo nasal


Uma rinoplastia que não aborda um desvio de septo pré-existente pode exacerbar a obstrução nasal através de vários mecanismos. O septo é a estrutura central cartilaginosa e óssea que divide a cavidade nasal em duas narinas. Um desvio no septo já pode estar contribuindo para o fluxo de ar prejudicado e a obstrução nasal.


  • Se uma rinoplastia for realizada sem corrigir esse desvio mesmo que leve, as mudanças na arquitetura nasal podem estreitar ainda mais as passagens nasais ou alterar a área da válvula nasal, o que é fundamental para manter o fluxo de ar adequado.

  • A rinoplastia pode envolver osteotomias (quebra de osso) ou alterações nos ossos nasais, que podem afetar inadvertidamente o alinhamento do septo ou criar novas áreas de obstrução se não forem cuidadosamente planejadas e executadas. A ressecção excessiva de estruturas de suporte ou falha em abordar a base óssea do septo também pode contribuir para a obstrução nasal pós-operatória.[ 4]

Problemas da abordagem errada do Cornetos Nasais


A hipertrofia dos cornetos inferiores pode contribuir para a obstrução nasal durante uma rinoplastia se não for tratada adequadamente.


  • Os cornetos inferiores têm a função de aquecer, umidificar e filtrar o ar que passa pela cavidade nasal. Mesmo uma hipertrofia leve dos cornetos pode reduzir o tamanho da passagem de ar, resultando em uma maior resistência ao fluxo de ar.


  • Qualquer alteração na estrutura nasal que estreite as passagens nasais pode agravar a obstrução causada pelos cornetos. Mudanças na ponta nasal ou no dorso nasal podem aumentar a proporção relativa ocupada pelos cornetos hipertróficos, limitando ainda mais o fluxo de ar.

  • Alterações na área da válvula nasal durante a rinoplastia podem afetar o padrão de fluxo de ar, aumentando o impacto da hipertrofia leve dos cornetos na obstrução nasal.


Problemas da abordagem errada das Válvulas Nasais


A rinoplastia que não aborda um colapso pré-existente da válvula nasal pode exacerbar a obstrução nasal devido ao papel crítico que a válvula nasal desempenha na regulação do fluxo de ar através do nariz.


  • A válvula nasal, principalmente a válvula nasal interna, é a parte mais estreita das vias aéreas nasais e é responsável por até 50% da resistência total das vias aéreas durante a inspiração.


  • O ângulo interno da válvula nasal é normalmente entre 10 a 15 graus, e qualquer estreitamento desse ângulo pode aumentar significativamente a resistência ao fluxo de ar.


  • Durante a rinoplastia, manobras que alterem a integridade estrutural ou configuração da ponta nasal, da parede nasal lateral ou do septo podem afetar inadvertidamente a área da válvula nasal. Por exemplo, a ressecção excessiva das cartilagens laterais inferiores ou uma alteração no suporte cartilaginoso da ponta nasal podem enfraquecer a válvula nasal externa, levando ao seu colapso e subsequente obstrução.


  • Da mesma forma, osteotomias ou modificações nos ossos nasais sem abordar a válvula nasal interna podem levar a uma alteração no ângulo ou na área transversal da válvula, aumentando assim a resistência nasal e a sensação de obstrução.


Vantagens do especialista em rinoplastia estética e funcional


O cirurgião especializado em rinologia recebe treinamento específico para avaliar e tratar tanto a forma (estética) quanto o funcionamento do nariz (funcional).


 

Quem é a Dra. Danielly Andrade?


Sou médica otorrinolaringologista em Belo Horizonte e Nova Lima, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2008, título de Especialista em Otorrinolaringologia pela ABORL / AMB.

Sou especialista em rinologia funcional e estética, área da otorrinolaringologia que estuda e trata os distúrbios do nariz e dos seios da face, como obstrução nasal e desvio de septo.


Especialista em cirurgias estéticas e funcionais do nariz.

​​

​Atuo como médica do corpo clínico-cirúrgico nos hospitais Mater Dei, Socor e Orizonti. Sou preceptora do serviço de especialização em otorrinolaringologia do Hospital Socor atuando na área de Rinologia.

"Meu objetivo é te ajudar a respirar bem pelo nariz e melhorar sua auto-estima, qualidade de vida e de sono."

Kommentare


bottom of page