Rinite Alérgica

Dra. Danielly Andrade > Doenças > rinite-alergica

Espirrando, vivendo com o nariz escorrendo, sofrendo de nariz entupido todas as manhãs? Quer saber por que parece que você continua pegando gripe? É provável que você tenha rinite alérgica. Felizmente, existem opções de tratamento eficazes para sua condição. O otorrino é o médico mais adequado para tratar sua rinite alérgica, pois é o médico que consegue ter uma visão geral da rinite aliado a outros problemas de vias aéreas superiores.

O que é rinite alérgica?

Rinite Alérgica

A rinite alérgica (RA) é uma condição em que a sensibilização alérgica inicial leva à produção de anticorpos específicos que podem então desencadear uma resposta alérgica na exposição subsequente ao mesmo alérgeno (antígeno) (Fig. 1). A interação antígeno-anticorpo leva à liberação de moléculas inflamatórias como as histaminas. São essas moléculas inflamatórias que levam aos sintomas de alergia, causando irritação dos nervos (coceira e espirros), inchaço do nariz (congestão nasal e obstrução), aumento das secreções mucosas (coriza e gotejamento pós-nasal descendo na garganta).

Qual a diferença entre a rinite e a sinusite?

Talvez a maior confusão sobre a rinite alérgica seja que muitas vezes é rotulada como sinusite, sendo uma inflamação do nariz e dos seios da face, e muitas vezes persiste de uma infecção não resolvida do trato respiratório superior (gripe).

Os sintomas de sinusite tendem a durar de semanas a meses, em vez de flutuar durante o dia. Além disso, os pacientes com sinusite tendem a apresentar secreção nasal descolorida ou catarro, em vez de coriza clara. Eles podem até sentir desconforto facial, dores de cabeça e perda do olfato, que não são típicos da rinite alérgica.

O que causa rinite alérgica?

Os alérgenos inalados mais comuns são os vários tipos de ácaros do pó doméstico. Outros alérgenos inalados comuns incluem excrementos de insetos e pólen. Ocasionalmente, os pacientes têm alergias alimentares, por exemplo, a crustáceos e ovos. O teste de alergia é geralmente feito através de um teste cutâneo (Fig 2) envolvendo a introdução de um alérgeno padronizado na epiderme (camada superior da pele) usando uma lanceta de plástico.

Isso pode causar um leve desconforto, mas nenhum sangramento é encontrado. Após 15 a 20 minutos, a área de teste é avaliada quanto ao desenvolvimento de uma resposta alérgica (inchaço, vermelhidão e coceira), muito semelhante à reação a uma picada de mosquito.

Teste alérgico - Rinite

Como a rinite alérgica é tratada?

Prevenção de exposição à alérgenos

A “prevenção” de alérgenos deve sempre fazer parte da estratégia. No caso de alergia a alérgenos domésticos, vale a pena considerar a troca regular da roupa de cama, retirada de carpetes e utilização de produtos antiácaros. No entanto, é quase impossível remover todos os alérgenos do meio ambiente. Portanto, evitar o alérgeno por si só não costuma resultar em controle adequado da rinite alérgica.

Medicamentos

Spray corticóide nasal - Rinite

Se os seus sintomas ocorrem apenas ocasionalmente e / ou são leves, tudo o que pode ser necessário é um anti-histamínico não sedativo para bloquear esses sintomas. No entanto, se você sentir sintomas com frequência e afetar seu sono, trabalho ou limitar sua participação em atividades esportivas / de lazer, o controle de longo prazo com um “spray” corticoide intranasal (Fig 3) geralmente dá melhores resultados.

Embora muitas pessoas se preocupem com os efeitos colaterais dos corticosteroides, as preparações intranasais modernas têm efeitos direcionados no nariz com absorção sistêmica mínima e efeitos desprezíveis fora do nariz. Alguns corticoides intranasais podem ser usados em crianças a partir dos 2 anos.

Cirurgia

Muitos pacientes podem sentir um alívio dramático dos sintomas apenas com medicamentos. No entanto, quando a obstrução nasal está presente há muito tempo, os cornetos inferiores podem estar tão aumentados que os medicamentos podem não ser suficientes. A redução cirúrgica dos cornetos inferiores (turbinectomia) pode ser realizada nesses casos.

Como em muitas doenças, os medicamentos para rinite alérgica, embora eficazes no controle dos sintomas, não tratam necessariamente a causa subjacente. A imunoterapia oferece o mais próximo que podemos chegar da cura. Este método de tratamento envolve a administração a longo prazo de pequenas quantidades de alérgeno de modo a dessensibilizar o sistema imunológico e, eventualmente, eliminar as respostas inadequadas ao alérgeno, é o que chamamos de “vacina para rinite alérgica”. Quando usado em um paciente adequadamente selecionado, 3 a 4 anos de imunoterapia oferecem uma chance ótima de ficar sem sintomas por pelo menos 7 anos. Outros benefícios incluem limitar o “ritmo alérgico”, reduzir a taxa de desenvolvimento de novas alergias e melhorar a qualidade de vida. A maioria dos pacientes no Brasil com rinite alérgica tem alergia a alérgenos domésticos; A imunoterapia sublingual representa uma estratégia de tratamento indolor, eficaz e segura que oferece uma chance de solução permanente.

 

A imunoterapia está disponível nos consultórios da Dra. Danielly Andrade.

Quando você precisa consultar um otorrino especialista em rinite alérgica?

A avaliação otorrinolaringológica é recomendada quando há sintomas incomuns (por exemplo, dores de cabeça, sangramento nasal, bloqueio unilateral, perda persistente do olfato), quando os sintomas persistem (por exemplo, secreção nasal purulenta por mais de 4 semanas ou quando o tratamento médico não está funcionando), em caso em que a cirurgia pode ser necessária. A consulta com um otorrino especialista é recomendada para aqueles que consideram a imunoterapia.