top of page

Cirurgia de desvio de septo e carne esponjosa: entenda os procedimentos

Início > Blog > Cirurgia de desvio de septo e carne esponjosa: entenda os procedimentos


O desvio de septo nasal e a carne esponjosa no nariz são duas condições que afetam a respiração e qualidade de vida de muitas pessoas. Em casos mais avançados, a cirurgia pode ser a solução. Mas quais são exatamente esses procedimentos e como eles atuam para melhorar os sintomas?


O que é desvio de septo?

O septo nasal é a estrutura óssea e cartilaginosa que separa as duas narinas. Quando ele se desvia para um dos lados, obstruindo total ou parcialmente as vias aéreas, ocorre o desvio de septo nasal.


Essa condição pode ser de nascença (congênita) ou decorrente de traumas no nariz. Os principais sintomas são:

  • Obstrução nasal, principalmente do lado desviado

  • Respiração ruidosa

  • Dor ou pressão facial

  • Sangramento nasal recorrente

  • Infecções sinusais de repetição

O desvio de septo nasal pode piorar com o tempo e levar a complicações como sinusite crônica e apneia obstrutiva do sono.

desvio de septo nasal
desvio de septo nasal


O que é carne esponjosa no nariz?

A carne esponjosa no nariz pode ser resultado de pólipos nasais, inchaço das adenoides ou hipertrofia de cornetos. Pólipos nasais são crescimentos benignos na mucosa nasal, enquanto as adenoides são tecidos linfoides que podem inchar devido a infecções ou alergias. Os cornetos nasais são estruturas ósseas revestidas por mucosa que também podem aumentar de tamanho devido a alergias ou irritações. Essas condições podem causar congestão nasal, dificuldade para respirar e outros sintomas.


A carne esponjosa ocorre devido ao crescimento excessivo da mucosa nasal, geralmente por inflamação crônica. Outras causas são:

  • Rinite alérgica

  • Desvio de septo

  • Uso prolongado de medicamentos vasoconstrictores

  • Pólipos nasais

Os sintomas da carne esponjosa são muito parecidos com o desvio de septo:

  • Obstrução e congestão nasal

  • Respiração ruidosa

  • Dor ou pressão facial

  • Sangramentos nasais frequentes

  • Ronco e apneia do sono


Além de piorar a qualidade de vida, a carne esponjosa também pode levar a infecções recorrentes nos seios da face.

Carne esponjosa no nariz - Pólipo nasal
Pólipo Nasal

Carne esponjosa no nariz - Pólipo nasal
Pólipo Nasal

carne esponjosa no nariz - hipertrofia de cornetos
Hipertrofia de Cornetos

Como ocorre a cirurgia de desvio de septo?

A cirurgia para correção de desvio de septo nasal é chamada septoplastia. Ela pode ser feita sozinha ou combinada com outros procedimentos.


O objetivo da cirurgia é remover e recolocar o septo no lugar correto, permitindo a passagem de ar pelas duas narinas. O procedimento é realizado sob anestesia geral.


As principais etapas da septoplastia são:

  1. Realização de uma incisão interna no septo nasal

  2. Remoção do tecido desviado ou fraturado

  3. Correção da estrutura do septo, removendo o excesso ósseo ou cartilaginoso

  4. Recolocação do septo remodelado na linha central

  5. Sutura ou fixação do septo na posição correta

  6. Tamponamento nasal para evitar sangramento e estabilizar o septo

  7. Curativo nasal com splint ou tala externa de proteção (Ambos serão removidos durante o pós operatório)


A cirurgia leva de 1 a 2 horas e é realizada em ambiente hospitalar. O pós-operatório requer algumas semanas de cuidados até a cicatrização completa.


Como funciona a cirurgia para carne esponjosa?

Existem duas técnicas cirúrgicas principais para reduzir ou remover a carne esponjosa no nariz:


Consiste na remoção parcial ou total do osso e mucosa do corneto inferior hipertrófico. Pode ser feita por diferentes abordagens:

  • Turbinectomia submucosa - apenas a mucosa interna é removida

  • Turbinectomia parcial - uma parte do osso e mucosa é ressecada

  • Turbinectomia total - todo o corneto é retirado

A técnica escolhida dependerá do grau de obstrução nasal e do julgamento do cirurgião. A recuperação leva cerca de 1 semana.


Neste procedimento, ao invés de remover o corneto, ele é reduzido de tamanho e remodelado. Isso é feito com cortes ósseos específicos, preservando o máximo de mucosa possível.


A vantagem é manter parte da função natural do corneto de aquecer, umidificar e filtrar o ar. O pós-operatório também costuma ser mais rápido.


É a remoção cirúrgica de pólipos nasais, que são lesões benignas que se desenvolvem na mucosa nasal. A polipectomia pode ser feita em casos onde os pólipos estão obstruindo as narinas e causando sintomas.


Essa cirurgia melhora a respiração nasal removendo os pólipos e é importante para evitar seu reaparecimento. A recuperação costuma ser rápida após a polipectomia.


Cirurgia combinada de desvio de septo e carne esponjosa

Quando as duas condições ocorrem simultaneamente, uma opção é realizar as cirurgias de correção de desvio de septo e remoção de carne esponjosa no mesmo procedimento.


Essa abordagem combinada apresenta alguns benefícios:

  • Correção dos dois problemas obstrutivos em um só tempo cirúrgico

  • Anestesia única para ambos os procedimentos

  • Recuperação simultânea das duas cirurgias

  • Melhora global da função respiratória nasal

  • Menor risco de complicações pós-operatórias


A desvantagem é que o tempo cirúrgico e o edema pós-operatório tendem a ser maiores quando são feitas duas intervenções conjuntamente.


A decisão pela cirurgia combinada dependerá da avaliação do otorrinolaringologista e das necessidades do paciente.


Quem se beneficia das cirurgias?

As cirurgias de correção de desvio de septo e remoção de carne esponjosa podem beneficiar pessoas que:


  • Possuem obstrução nasal crônica, apesar do uso de medicamentos

  • Sofrem com respiração ruidosa, distúrbios do sono ou apneia

  • Apresentam sangramentos ou infecções sinusais frequentemente

  • Possuem alterações na estrutura interna do nariz evidentes nos exames

  • Não conseguem controlar os sintomas com tratamento clínico

  • Tem qualidade de vida prejudicada pelos sintomas obstrutivos


É importante avaliar se há indicação cirúrgica com um otorrinolaringologista experiente. Geralmente pode ser recomendado iniciar com tratamento clínico, como corticoides nasais e anti-histamínicos, para verificar se os sintomas regridem antes da decisão cirúrgica.


Quais são os riscos e complicações das cirurgias?

Como qualquer procedimento cirúrgico, as cirurgias nasais também estão sujeitas a riscos e possíveis complicações, como:


  • Sangramento pós-operatório

  • Infecção

  • Perfuração do septo nasal

  • Cicatrizes irregulares internas

  • Persistência de obstrução ou deformidade nasal

  • Necessidade de revisão cirúrgica

Porém, quando realizadas por um cirurgião experiente e com boa técnica, as complicações são bastante raras. A maioria dos pacientes se recupera muito bem, com melhora significativa da respiração e sintomas.


O fundamental é seguir corretamente todas as recomendações médicas no pós-operatório para evitar problemas e garantir a cicatrização adequada.


Recuperação pós-operatória e resultados


A recuperação após as cirurgias nasais exige alguns cuidados:


  • Repouso com a cabeça elevada nos primeiros dias

  • Uso de medicamentos analgésicos conforme prescrição

  • Gelo local nas primeiras 48h para reduzir inchaço

  • Limpeza nasal com soro fisiológico para remover secreções

  • Não assoar o nariz com força nas primeiras semanas

  • Comparecer às consultas de acompanhamento

  • Evitar atividades físicas, trabalho pesado e exposição ao sol por cerca de 15 dias


O resultado já começa a ser percebido nas primeiras semanas, à medida que o inchaço diminui. Mas o benefício total da cirurgia só será alcançado após cerca de 3 a 6 meses.


Neste período, a qualidade respiratória tende a melhorar progressivamente. É comum sentir diferença na respiração logo na primeira semana pós-operatória.


Em casos bem sucedidos, os pacientes relatam grande satisfação com a cirurgia, pois conseguem respirar com muito mais facilidade pelo nariz, melhorando também o olfato, paladar e sono.


Aqui está uma seção sobre a cobertura dos planos de saúde para cirurgias de nariz:


Cobertura dos planos de saúde


Uma boa notícia para quem possui plano de saúde e precisa realizar cirurgia nasal é que todos os procedimentos funcionais no nariz, ou seja, com o objetivo de melhorar a respiração e função nasal, são obrigatoriamente cobertos.


Isso inclui a septoplastia, turbinectomia, turbinoplastia, polipectomia e sinusectomia. Essas cirurgias estão incluídas no Rol de Procedimentos da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).


Dessa forma, caso exista indicação do otorrinolaringologista e preenchimento dos documentos necessários, o plano de saúde deverá cobrir integralmente os custos hospitalares e honorários médicos de acordo com suas regras e limites de cobertura.


É importante que o paciente verifique junto à operadora se há alguma diretriz de utilização ou necessidade de pré-autorização antes da realização das cirurgias nasais funcionais. Mas de uma forma geral, essas intervenções têm cobertura obrigatória.


Isso traz mais acessibilidade para quem precisa tratar condições como desvio de septo e hipertrofia dos cornetos, melhorando assim a respiração e saúde. É um direito do consumidor com plano de saúde realizar essas cirurgias pela cobertura do convênio.


Portanto, em caso de obstrução nasal crônica, consulte um otorrino e verifique junto ao seu plano de saúde quais são os procedimentos cobertos e como solicitar a autorização prévia, caso necessário.


Custo das cirurgias se o paciente não tiver plano de saúde

O custo médio para realizar a septoplastia com turbinectomia/turbinoplastia e ou polipectomia numa clínica particular no Brasil fica entre R$ 9.000 e R$ 15.000 reais.


Alguns dos fatores que influenciam:

  • Técnica cirúrgica utilizada

  • Necessidade de complementação com outros procedimentos

  • Material cirúrgico e órteses nariz

  • Honorários do cirurgião e anestesista

  • Tempo de internação necessário

  • Cidade e região do país

Muitos cirurgiões também oferecem facilidade de parcelamento em várias vezes sem juros.


Quando procurar um médico?

Se você sofre com obstrução e congestão nasal crônica, roncos, apneia do sono, sangramentos nasais frequentes ou infecções de repetição como sinusite, pode ser hora de buscar ajuda médica.


Procure um otorrinolaringologista para investigar se há desvio de septo ou alterações internas no nariz que estejam causando os sintomas. O ideal é fazer um check-up nasal periodicamente.


Caso sejam diagnosticados problemas passíveis de correção cirúrgica, siga as recomendações médicas. As cirurgias de nariz têm bons resultados e podem eliminar o sofrimento quando o tratamento clínico não é suficiente.

 

Quem é a Dra. Danielly Andrade?

Sou médica otorrinolaringologista em Belo Horizonte e Nova Lima, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2008, título de Especialista em Otorrinolaringologia pela ABORL / AMB.

Sou especialista em rinologia (funcional e estética), área da otorrinolaringologia que estuda e trata os distúrbios do nariz e dos seios da face, como obstrução nasal, desvio de septo, rinite, alergias, sinusite, alterações do olfato e sangramentos nasais.


​Atuo como médica do corpo clínico-cirúrgico nos hospitais Mater Dei, Socor e Orizonti. Sou preceptora do serviço de especialização em otorrinolaringologia do Hospital Socor atuando na área de Rinologia.


"Meu foco é te ajudar a respirar bem pelo nariz e melhorar sua auto-estima, qualidade de vida e de sono."

Comments


bottom of page